Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Hyundai i20 Active 1.0 T-GDI: tem graça e é engraçado!

hyundai-i20_active-2016-1600-04A sede voraz por modelos que sejam, se assemelhem ou que fugazmente lembrem um SUV, obriga a lançar modelos a torto e a direito recuando ao tempo em que se lançaram coisas como o Rover 25 Streetwise. Na época não vingaram, hoje são bem mais engraçados e aceites. O Hyundai i20 Active é uma espécie de 25 Streetwise dos tempos modernos, mas ao contrário do dramático modelo britânico, este é muito engraçado e tem mesmo muita graça. Quer dizer, é bom.

destaque1Já percebeu que este é um i20 especial pois além do sufixo Active, oferece várias peças em plástico que destacam as cavas das rodas, as embaladeiras, os para choques contam com placas de proteção a imitar alumínio e, o mais importante, 20 mm a mais na altura ao solo.

Não vale a pena ficar já muito entusiasmado, primeiro porque com o i20 Active não vai muito mais longe que as poças de água das sarjetas entupidas ou àqueles estradões onde pode passar com um i20 normal. Depois, porque tenho de lhe explicar porque razão a Hyundai cobra mais 2.230 euros (10.460 contra 17.230 euros) por este i20 que por um i20 normal. É verdade que está tudo incluído, nem sequer há opcionais exceto a pintura metalizada, mas mesmo assim…

A culpa é sua. Sim, sua, pois se está interessado neste i20 Active faz parte daqueles que têm vindo a engordar o segmento, de tal forma que no ano passado foram os SUV os modelos mais vendidos na Europa e este ano a conversa será igual. Enfim, todos querem, vá lá saber-se porque, ter um SUV. Ou algo parecido e de preferência, ao nível do rés do chão e não lá para os andares Premium.

Acreditamos que será um evento muito mediatizado, até pela qualidade dos intervenientes. Estamos também a contar com a presença de um membro do governo com a tutela desta área, embora ainda não tenhamos a confirmação se serão próprio ministro da Economia.

 

Veja aqui quanto lhe pode custar este Hyundai i20 Active

[xyz-ihs snippet=”Simulador Cetelem v2″]

 

Faz parte do cada vez maior número de compradores a procurar este tipo de veículo. O que você procura, parece que ninguém ainda percebeu. Provavelmente nem você! É que este é um segmento onde se quer um veículo com aspecto de 4×4 mas que não tenha tração integral!; é um segmento onde a média de idade é muito superior à ideia que as marcas vendem de liberdade, independência e modo de vida ativo (veja-se o material publicitário que encoraja os desportos radicais por exemplo); é um segmento onde os modelos tendem a ser grandes mas todos desejam-nos pequenos! Contradições e compromissos deveria ser o nome deste segmento… Adiante!

Como na Hyundai a versão mais pequena do Tucson não ata nem desata, eis que surge este i20 Active, a meio caminho entre um carro normal e um SUV. É uma receita antiga, como já referi, que entretém o mercado até que se faça o modelo de negócio que permita o lançamento de um verdadeiro SUV do segmento B. Um rival para o Renault Captur ou para o Mazda CX3 ou até para o Suzuki Vitara. Lá está: tem aspecto de 4×4, não tem 4×4, parece que vai a todo o lado, mas não vai, apela ao ar livre e ao modo de vida ativo, mas além das barras de tejadilho, não tem capacidade para levar muito mais que um par de patins. Pelo visto é isto que todos querem…

A primeira impressão é clara: o i20 Active é mais duro que o modelo “normal”. Porque? Porque os 20 mm a mais na altura ao solo tinham de ser contrariados no que toca ao comportamento. Houve a necessidade de manter o carro bem dinâmico apesar desta alteração. Infelizmente, o carro ficou um nadinha mais desconfortável, os buracos e lombas mais agressivas expõem claramente este pormenor e no que toca ao comportamento, a maior altura ao solo ganha esta luta pois nas mudanças rápidas de direção, o i20 Active tem um ou outra hesitação e a carroçaria mexe-se mais que no modelo “normal”.

Seja como for, o i20 Active continua a ser um carro interessante para nos levar de um lado para o outro, sem grandes problemas, mas também sem grande emoção, pois nesse particular já o modelo “normal” é mais pragmático e sensato que emotivo ou delirante.

O motor de três cilindros com um litro de cilindrada e sobrealimentação é muito agradável de utilizar, não só porque tem binário entre as 1500 e as 4000 rpm, mas também porque responde de forma afirmativa ao que fazemos com o acelerador e as performances são muito semelhantes às de um bloco de cilindrada superior. E aqui tenho de dar os parabéns à Hyundai, pois com uma caixa de cinco velocidades, acertou em cheio nas relações que melhor exploram as características do motor. Nota-se que estamos ao volante de um carro com um tricilindrico (prrrrrrrrr….) mas descontando o barulho normal destes motores, o refinamento do bloco da Hyundai é muito bom.

hyundai-i20_active-2016-1600-09Melhor ainda é o equipamento oferecido e a qualidade, sempre em ascensão, de materiais e da construção. Impressiona, pelo menos a mim, olhar e ver o que a Hyundai caminhou até hoje no que toca á qualidade dos seus produtos. Se no passado eram pouco mais que equipamento abundante embrulhado em veículos pobres e de fraca qualidade, hoje estamos perante uma marca que está a meio caminho dos Premium. É verdade que ainda falta à marca coreana notoriedade e algum cuidado extra no que toca ao ambiente a bordo. É que tudo é bom e colocado no local certo, mas com pouca criatividade e alguma frieza. Mas se a Volkswagen faz o mesmo e ninguém reclama, porque razão estou eu a criticar a Hyundai?

Tudo isto mais o equipamento e consumos que, nas minhas contas, ficaram nos 5,9 l/100 km (nada mau!), são oferecidos num carro que tem graça, mas também é engraçado de utilizar.

Veredicto

Disse acima que o Hyundai i20 Active não é particularmente estimulante na condução. Porém, é um carro giro pela aplicação dos plásticos nas cavas das rodas e das placas nos para choques, pelas barras no tejadilho, pelo equipamento completo e pelo aspecto robusto e “mauzão” que todos gostam. Não me admiraria nada que este fosse o i20 mais procurado nos próximos tempos, até porque o motor a gasolina chega sobre e sobeja para este i20 Active. O maior problema será quando se fizer comparações com outros modelos do segmento, mais SUV que este i20 Active. Mas, também, quer-me parecer que se você escolher este i20 Active é porque, lá bem no fundo, não gosta dos “armários” (leia-se SUV e jipes), apenas do aspecto deles. E nisso, este Hyundai é, simplesmente, perfeito!

Se gostou do Hyundai i20 Active 1.0 T-GDI 100, vá até ao configurador da Hyundai e escolha o seu!

FICHA TÉCNICA

Hyundai i20 Active 1.0 T-GDI 100

Motor

Tipo 3 cilindros em linha, transv., injeção direta

Cilindrada (cm3) 998

Diâmetro x curso (mm) 71,0 x 84,0

Taxa compressão    10,0:1

Potência máxima (cv/rpm) 100/4500

Binário máximo (Nm/rpm)    172/1500-4000

Transmissão e direcção

Tracção            Dianteira

Caixa            Manual de 5 velocidades

Direcção        Pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm)    4065/1760/1529

Distância entre eixos (mm)    2570

Largura de vias fte/tras. (mm)    1510/1513

Travões fr/tr.    Discos ventilados/discos

Peso (kg)    1085

Capacidade da bagageira (l)    326 – 1042

Depósito de combustível (l)    50

Pneus série – equipados     205/45 R17

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s)    13,9

Velocidade máxima (km/h)    176

Extra-urb./urbano/misto (l/100 km)    5,5/3,9/4,5

Emissões de CO2 (g/km)    106

Preço base (Euros)    19.459

Preço versão ensaiada (Euros) 19.459

Outras Notícias

Comentários estão fechados.