Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Rent-a-Car alavancou o mercado nacional

Formation of cars

O Rent-a-Car deverá ter absorvido cerca de 40 mil veículos em 2015, correspondendo a cerca de 22% do mercado automóvel português, segundo estimativas da SIVA, importadora das marcas Volkswagen, Audi, Skoda, Lamborghini e Bentley, divulgadas hoje durante a apresentação dos resultados comerciais da empresa

“O mercado automóvel registou em 2015 um forte ritmo no primeiro semestre, com taxas anuais de crescimento acima dos 20%, entrando em ritmo de desaceleração crescente com o aproximar do final do ano. E o peso do Rent-a-Car, que compra sobretudo na primeira metade do ano, explica quase integralmente esta diferença de crescimentos entre semestre”, adiantou Fernando Monteiro, CEO da SIVA. O Rent-a- Car tem aliás ganho peso nos últimos anos, em linha com o desenvolvimento do turismo.

Outro canal importante é o das empresas especializadas no renting que, de acordo com as SIVA, terá valido 22 mil unidades no ano passado.

Mercado de particulares recupera peso

A grande novidade do mercado foi a recuperação do mercado de clientes de particulares, invertendo uma tendência de baixa que se prolonga há mais de uma década, em linha com a ligeira reanimação da economia, após a profunda crise de 2008-2013. “Há uma correlação quase perfeita entre a evolução do PIB e o mercado de passageiros”, refere Fernando Monteiro.

Ainda assim, o mercado de particulares, incluindo os profissionais liberais, deverá valer hoje pouco mais que o terço do mercado.

“Esta estrutura do mercado tem exigido que as marcas tenham um ofertas de produto cada vez mais sofisticados, para dar resposta adequada à especificidade de cada um dos canais”, explica o CEO da SIVA. “O que resulta numa enorme agressividade comercial por parte das marcas”

Marcas premium valem 1/4 do mercado

O peso das frotas nas vendas totais do mercado é um fator determinante no sucesso das marcas premium em Portugal. Somadas, as vendas de marcas premium, como a Mercedes-Benz, BMW, Audi, Volvo, Lexus ou Jaguar, entre outras, valem 24,1% do mercado, somando mais de 43 mil unidades.

Importações de usados disparam

As Importações de usados dispararam, recuperando os níveis pré-crise, 40 809 unidades. Os últimos dados, referentes a novembro, indicam vendas acumuladas desde janeiro de quase 41 mil unidades, um crescimento homólogo de 73,5%. Sobretudo veículos usados com dois ou três anos de idade e de marcas premium.

As exportações também continuaram a crescer. “Em todos os mercados onde o  Rent-a-Casr tem um volume muito expressivo, há exportações, porque a procura doméstica não absorve a oferta d (carros semi-novos, com 8 e 9 meses oriundos dos buy backs das empresas de Rent-a-Car. São sobretudo pequenos ou médios, os segmentos mais usados pelo RAC

Em 2015 manteve-se a tendência para o envelhecimento do parque circulante, que deve agora rondar uma média de 12 anos de idade. Em termos de segmentação por tipos de propulsão, os motores diesel mantiveram a primazia, mas perderam quota, devido sobretudo ao crescimento dos segmentos mais populares do mercado, onde os pequenos motores gasolina se estão a começar a impor. Os veículos 100% elétricos (BEV), híbridos (HEV) e Híbridos Plug-in (PHEV) já somam 2,4% de quota de mercado

Motorizações

Em termos de carroçarias, os SUV continuam a ganhar peso e no final de 2015 valiam já 13% do mercado.

Outras Notícias

Comentários estão fechados.